A Pirâmide de Aprendizagem e a importância da prática 

Com o aumento das tecnologias o hábito da leitura vem sendo cada vez mais deixado de lado.

Antes, pesquisas que eram feitas em livros e enciclopédias passaram a serem feitas na internet, que tem à disposição vídeos, fotos e áudios, dificultando o interesse pela leitura.

Em 2019, a pesquisa do IBOPE apontou que a população brasileira tem uma média anual de 4,96 livros lidos por habitante. Sendo que, apenas 2,43 são lidos do começo ao fim. A Finlândia e o Canadá são os países onde as pessoas mais leem, com 14 livros por ano, seguidos pela Coreia do Sul, com 10 livros.

A falta de leitura causa grande impacto na aprendizagem. Segundo o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), que avalia estudantes de 77 países entre 15 e 16 anos, 50% dos brasileiros têm resultado nível 1 de leitura, em uma escala de 1 a 5. Isso não impacta somente na compreensão da língua, acaba refletindo em outras áreas como o raciocínio lógico.

Além da melhora do vocabulário e ampliação da habilidade na escrita, o hábito de ler aprimora a capacidade interpretativa, estimula o raciocínio, desenvolve a criatividade e proporciona ao leitor um conhecimento amplo sobre diversos assuntos.

Ou seja, o processo de aprendizagem não chega ao fim quando terminamos a escola e/ou a faculdade. Muito pelo contrário, se você quiser continuar a crescer e se aperfeiçoar, ter um hábito de leitura consistente pode ajudá-lo a manter sua mente afiada e desenvolver as habilidades que você precisa para dar seu próximo passo.

Pirâmide de Aprendizagem

Nem todo mundo consegue ter um aprendizado eficaz e duradouro. O psiquiatra norte americano William Glasser criou e colocou em prática A Pirâmide de Aprendizagem. A teoria propõe que a pessoa aprenda por meio da prática, não apenas lendo e tentando memorizar a informação.

Porém, a autoria desta teoria é bastante controversa, pois há quem aponta a criação a Edgar Dale, chamando como Cone da Aprendizagem. Apesar disso, o sentido da pesquisa é o mesmo – afirmando que o posicionamento ativo, a prática, melhora o processo de aprendizado.

Representado de forma gráfica, a Pirâmide de Aprendizagem, mostra a porcentagem de retenção de conhecimento:

Dicas para desenvolver habilidade de aprendizado:

  1. Interaja: Participe de debates, clube do livro, atividades em grupo, é uma ótima forma de aprofundar o entendimento do conteúdo e trocar conhecimento.

  2. Ensine: Ensinar é uma excelente maneira de reter conhecimento. Compartilhe o que você aprendeu com outras pessoas, seja apresentando para seus colegas de trabalho ou produzindo conteúdo.

  3. Aplicação: Seja na vida pessoal ou no seu trabalho, procure por oportunidades para colocar em prática o conhecimento adquirido em situações reais.

Apenas ler não é o suficiente, nosso cérebro tende a descartar excesso de informação. Coloque em prática essas dicas e você irá perceber que a informação adquirida se tornará conhecimento.

Indicações:

Nas redes sociais:Clube do Livro: Como fazer amigos e influenciar pessoas 

📽️Indicação de Podcast: Benefícios que o hábito da leitura pode trazer para sua rotina. 

19 e 20 de Outubro
Alphaville, Barueri/SP

Edição 2024
- O TRABALHO DEVOLVE

continue lendo

Inscreva-se na
newsletter semanal
e receba insights práticos para sua vida e carreira.

Mídias Sociais

© Copyright 2024 Joel Jota. Todos os direitos reservados.